• Clínica Juja Fisioterapia

Laço laranja.

Talvez você não saiba os que estas pessoas têm em comum...

Atrizes Claudia Rodrigues e Ana Beatriz Nogueira

Durante o ano costumamos ouvir sobre diversas campanhas de prevenção, conscientização, detecção de doenças, acidentes, suicídios, dentre outros.


Este mês de agosto foi escolhido como Agosto Laranja, mês de conscientização sobre Esclerose Múltipla.


Estas e mais 2,5 milhões de pessoas no mundo são portadoras de Esclerose Múltipla, segundo o último Mapa da Esclerose de 2013.


Em nossa experiência, nestes 11 anos de Clínica Juja Fisioterapia (#CJF), atendemos alguns pacientes e nossa convivência com eles nos trouxe grande aprendizado. Sabemos que cada indivíduo é único e nossa troca nesse processo de alívio e prevenção da instalação precoce de limitações tem que ser de muito comprometimento, parceria e empatia. A família também tem um importante papel nesse processo. Apoio e companheirismo é fundamental na aceitação e na mudança de sua rotina.


Falando um pouco sobre a definição, a Esclerose Múltipla, é uma doença que ataca o Sistema Nervoso Central (#SNC), crônica podendo levar a perda de movimentos, percepção sensorial e à morte. Está classificada entre uma das causas mais de incapacidade neurológica em adultos jovens. É uma doença que aparece mais em mulheres, entre 20 a 40 anos. A doença apesar de não ser mais uma sentença de morte, pode trazer surtos-remissão (momentos em que o portador melhora ou piora) que trazem diferentes sintomas (dependendo da área afetada).


Tivemos pacientes com evoluções diferentes e com hábitos diários de cuidados com a saúde também diferentes. As causas da doença ainda não estão bem definidas, mas alguns hábitos de vida são mais comuns, entretanto não pode ser definido como causa aparente.


Estima-se que no Brasil 30 mil indivíduos sejam portadores da doença. A classe neurológica brasileira afirma que sentem “parece ter aparecido mais casos nos últimos anos em seus consultórios”, porém sabemos que a oferta de mais máquinas para exames (Ressonância Magnética) e pesquisas na área, possibilitam a diferenciação entre as demais doenças do Sistema Nervoso Central e oferecem a possibilidade de diagnóstico precoce e inicio de tratamento, evitando complicações incapacitantes muito cedo. Como citado anteriormente, as causas continuam sendo pesquisadas, mas no Brasil estudos detectaram que na cidade de Santa Maria (RS) ocorre cerca de 27 casos para cada 100 mil habitantes, seguida de Belo Horizonte (MG), 18 casos, levando a crer que uns dos fatores de risco para desenvolvimento da doença pode ser a característica da região onde mora.


Muitas entidades de apoio à pesquisa, centros de referência e organizações não governamentais oferecem informações e equipes treinadas para atender o portador e sua família.


A fisioterapia é considerada fundamental ao portador de Esclerose Múltipla, o tratamento é traçado de acordo com cada paciente. De acordo com os sinais e sintomas do paciente e uma avaliação cuidadosa da resposta neurológica. Não é raro a necessidade de uma equipe multidisciplinar e, para que o melhor atendimento possa ser oferecido, trabalhamos de forma interdisciplinar na reabilitação/intervenção com o objetivo de melhorar o equilíbrio, a força, a marcha, a aceitação e a condição nutricional.


Deixe sua experiência, ficaremos felizes em ler e responder seu comentário.